terça-feira, 1 de setembro de 2009

De muitos, o primeiro

Esta é outra porta que atravesso, e para a qual agora olho, divisando seus batentes foscos.

28 anos. Pouco aprendizado, algumas certezas e muita curiosidade. Depois de tanta zanga, alegria e outras coisas, percebo outra vez um pouco mais do mundo, agora segurando uma pequena mão branca como o leite.

Esse foi o ano em que ganhei o melhor dos presentes. Não importa idade, não importa nada. Só o que sinto e que ruge carinhosamente aqui dentro. Dito isso, tudo mais se cala.

Um comentário: