quarta-feira, 28 de março de 2007





Do alto de minha janela
o silêncio da avenida.

Leve zumbido
gostoso.
Sibilo de vento.

Branco(Verde?) de lâmpadas enganosas,
o duvidoso escuro noturno.





3 comentários:

Nina, disse...

Do alto da minha janela eu ouço o silencio. E ele pode ser tao caotico quanto o barulho de uma avenida movimentada.
Acredite, acostumar-se com o silencio nao é tarefa fàcil!

Geverson disse...

Gostei dos poemas, simples, descompromissados, agradável leitura. Quando dito em voz alta soa bem ao ouvido!

Sha disse...

Fe...

Adorei o poema...cada dia q passa fico mais orgulhosa desse meu amigo!!!
Seria frequentadora assidua do blog...pode ter certeza!!!